História: A O.T.O. Dirigida Por Reuss

Os Primeiros Tempos

Rudolph Steiner (1861 — 1925), que nesta época era o Secretário Geral do ramo alemão da Sociedade Teosófica, foi patenteado em 1906 como Grande Mestre Delegado de um capítulo subordinado à O.T.O/Memphis/Mizraim e do Grande Conselho chamado Mystica Aeterna em Berlim. Steiner deu fundação à Sociedade Antroposófica em 1912 e encerrou sua associação com Reuss em 1914.

Em 24 de junho de 1908, o Dr. Gérard Encausse (Papus, 1865 — 1916) organizou uma "Conferência Maçônica e Espiritualista Internacional" em Paris, à qual Reuss compareceu. Nesta conferência, Encausse recebeu, sem pagamento, uma patente de Reuss para estabelecer um "Supremo Grande Conselho Geral dos Ritos Unidos da Antiga e Primitiva Maçonaria para o Grande Oriente da França e suas Dependências em Paris". No ano anterior Encausse, juntamente com Jean Bricaud (1881 — 1934) e Louis–Sophrone Fugairon (n. 1846), havia organizado a Églaise Catholique Gnostique, a Igreja Gnóstica Católica, como um cisma da Église Gnostique, uma igreja neo–Albingense fundada em Paris em 1890 por Jules Dionel (1842 — 1903). Acredita–se que Reuss recebeu consagração episcopal e autoridade primal na Églaise Catholique Gnostique de Encausse e Bricaud nesta conferência. O envolvimento de Encausse com a O.T.O., per se, é incerto.

Arnold Krumm–Heller
Arnold Krumm–Heller

Ainda nesta conferência o Dr. Arnold Krumm–Heller (Huiracocha, 1879 — 1949) recebeu uma patente de Reuss como representante oficial para a América Latina. Krumm–Heller desenvolveu sua própria ordem, chamada Fraternitas Rosacruciana Antiqua (F.R.A.). De acordo com seu filho, Parsival, ele nunca fundou Lojas da O.T.O. ou indicou qualquer oficial da O.T.O.

Reuss e Crowley

Aleister Crowley
Aleister Crowley

Como um jornalista, Reuss viajava freqüentemente à Inglaterra. Em uma destas viagens ele conheceu Aleister Crowley (Baphomet, 12/10/1875 — 01/12/1947), o qual foi admitido aos três primeiros graus da O.T.O. em 1910. Em 21 de abril de 1912 Reuss deu a Crowley uma patente, gratuitamente, indicando–o como Grande Mestre Nacional Geral X° da O.T.O. para a Grã–Bretanha e Irlanda. A indicação de Crowley incluía autoridade sobre os Ritos de língua Inglesa nos graus inferiores (maçônicos) da O.T.O., aos quais foi dado o nome de Mysteria Mystica Maxima, ou M∴M∴M∴.

Em primeiro de junho de 1912, uma Grande Loja Nacional para os países eslavos foi estabelecida por Czeslaw Czynski. Franz Hartman morreu em sete de agosto de 1912. Em setembro de 1912 Reuss publicou a "Edição de Jubileu" do "The Oriflamme", que foi a primeira edição a mencionar a O.T.O. em qualquer detalhe, e foi quase inteiramente devotada a assuntos da O.T.O. Kellner, Reuss e Crowley eram listados como membros de grau X° da O.T.O. Também em 1912 Crowley publicou o "Manifesto da M∴M∴M∴" no qual a M∴M∴M∴ foi identificada como a seção britânica da O.T.O., a qual "incluía todos os países onde o Inglês fosse largamente falado". A O.T.O. é descrita neste documento como

...um corpo de iniciados em cujas mãos está concentrada a sabedoria e o conhecimento dos corpos seguintes:

  • A Igreja Gnóstica Católica.
  • A Ordem dos Cavaleiros do Espírito Santo.
  • A Ordem dos Illuminati.
  • A Ordem do Templo (Cavaleiros Templários).
  • A Ordem dos Cavaleiros de São João.
  • A Ordem dos Cavaleiros de Malta.
  • A Ordem dos Cavaleiros do Santo Sepulcro.
  • A Igreja Oculta do Santo Graal.
  • A Ordem Rosacruz
  • A Fraternidade Hermética da Luz.
  • A Sagrada Ordem da Rosa Cruz de Heredom.
  • A Ordem do Sagrado Arco Real de Enoch.
  • O Antigo e Primitivo Rito da Maçonaria (33 graus).
  • O Rito de Memphis (97 graus).
  • O Rito de Mizraim (90 graus).
  • O Antigo e Aceito Rito Escocês da Maçonaria (33 graus).
  • O Rito de Swedenborg da Maçonaria.
  • A Ordem dos Martinistas.
  • A Ordem de Sat Bhai,
  • A Ordem Hermética da Golden Down
  • e muitas outras ordens de mérito igual, se de menos fama.

O Manifesto da M.·.M.·.M.·. também deu o seguinte esquema de organização da Ordem:

  • O° MINERVAL
  • I° M.
  • II° M.
  • III° M.
  • PI
  • IV°, Companheiro do Santo Arco Real de Enoch.
  • Príncipe de Jerusalém.
  • Cavaleiro do Leste e do Oeste.
  • V°, Príncipe Soberano da Rosa Cruz. (Cavaleiro do Pelicano e águia.)
  • Sócio do Senado de Cavaleiros Filósofos Herméticos, Cavaleiros da águia Vermelha.
  • VI°, Ilustre Cavaleiro (Templário) da Ordem de Kadosch, e Companheiro do Santo Graal.
  • Chefe Inquisidor principal, Sócio do Tribunal Principal.
  • Príncipe do Segredo Real.
  • VII°, Inspetor General Principal Soberano Muito Ilustre.
  • Sócio do Conselho Principal Supremo.
  • VIII°, Pontífice Perfeito dos Illuminati.
  • IX°, Iniciado do Santuário do Gnosis.
  • X°, Rex Summus Sanctissimus (o Rei Supremo e mais Santo).

A edição de setembro de 1912 do "The Oriflame" incluiu uma listagem similar de um sistema de dez graus:

  • I - Prüfling [Probacionista]
  • II - Minerval
  • III - Johannis-(Craft-) Freimauer [Artesão maçon]
  • IV - Schottischer-(Andreas-) Mauer [Maçon escocês]
  • V - Rose Croix-Mauer
  • VI - Templer-Rosenkreuzer
  • VII - Mystischer Templer
  • VIII - Orientalisher Templer
  • IX - Vollkommener Illuminat [Perfeito Iluminado]
  • X - Supremus Rex

Desta forma, em 1912, Crowley e Reuss haviam condensado o sistema da Arte e dos altos–graus maçons em um sistema viável de dez graus numerados que incorporava os ensinamentos e simbolismo de um certo número de sociedades ocultistas e místicas. Os três graus da Academia Maçônica de Kellner formavam os graus VII°, VIII° e IX° deste sistema. O décimo grau (X°), "Rex Summus Sanctissimus", ou "Supremus Rex", designava o Grão Mestre Geral Nacional da O.T.O para um determinado país, região ou grupo lingüístico. A suprema autoridade da Ordem, internacionalmente, era chamada de "Frater Superior" ou Cabeça Externa da Ordem ("Outer Head of the Order" — O.H.O.).

Os Grãos Mestres Gerais Nacionais tinham a autoridade para indicar seus próprios representantes, chamados "Vice–Reis", em outros países de mesmo idioma dominante. Vice–Reis podiam ainda serem levados ao X° pelo O.H.O. Dos Grãos Mestres Gerais Nacionais esperava–se que conduzissem os negócios da O.T.O. de acordo com a Constituição da O.T.O., mas em grande escala fora da supervisão diária do quartel–general internacional ou "Escritório Central".

Mansão de A. Crowley em Boleskine, Escócia
Mansão de A. Crowley em Boleskine, Escócia

O Manifesto da M∴M∴M∴ incluía fotografias da mansão de Crowley na Escócia, chamada de Boleskine, a qual servia como "Casa de Ofícios" da Ordem. Incluía também uma lista de taxas e mensalidades para cada grau, bem como uma lista de "taxas de afiliação", onde maçons poderiam afiliar–se diretamente no nível correspondente ao seu próprio grau na Maçonaria. Estas listas foram reimpressas na edição de 1914 de "The Oriflamme", junto com os títulos de graus do Manifesto de Crowley traduzidos para o Alemão.

Em 1912, o sistema da O.T.O., apesar de suas várias influências, permanecia principalmente maçônico. Na Edição de Jubileu de "The Oriflamme" Reuss definiu a O.T.O. como "uma ordem não pura e simplesmente maçônica, mas cada membro de nossa Ordem, homem ou mulher... deve proceder através dos graus de artesão da Maçonaria, mesmo aqueles dos mais altos–graus da Maçonaria, antes de serem iluminados e iniciados membros de nossa Ordem." Contudo, a Grande Loja Unida da Inglaterra, a quem Crowley tecnicamente devia aliança, objetou a aceitação de Graus de Artesão na Inglaterra fora de sua jurisdição e objetou a admissão de mulheres na Maçonaria. Ainda assim, Crowley incluiu o seguinte texto em seu Manifesto da M∴M∴M∴:

A O.T.O., ainda que uma Academia Maçônica, não é um Corpo Maçônico posto conceder os graus de artesão no sentido no qual esta expressão é normalmente entendida na Inglaterra; e assim não há conflitos com ou infração aos justos privilégios da Grande Loja Unida da Inglaterra

Em 15 de fevereiro de 1913 Crowley adotou uma Constituição para a M∴M∴M∴, submetida à Constituição Geral da O.T.O. Em 19 de março de 1913, Crowley e Reuss unidos deram patente a James Thomas Windram (Mercurius, 1877 — 1939) como representante oficial da O.T.O. na África do Sul. Posteriormente, em 1913, visitando Moscou, Crowley compôs a Missa Gnóstica, a qual ele "preparou para o uso da O.T.O. a cerimônia central de sua celebração pública e particular, correspondendo à Missa da Igreja Católica Romana."

A I Guerra Mundial estourou em 28 de julho de 1914. Crowley mudou–se para Nova York em outubro deste mesmo ano; passando o ano seguinte trabalhando como escritor para os periódicos de George Sylvester Viereck, "The Fatherland" e "The International", e como editor–chefe posteriormente. Em dezembro de 1914, Crowley indicou Charles Stansfeld Jones (Parzival, 1886 — 1950) como Grão Inspetor Geral Soberano VII° e seu representante pessoal na cidade de Vancouver. Em março de 1915 Windram indicou Ernest W. T. Dunn VII°(Maximus) como Vice–Rei atuante para a Australásia.

Apesar de seu anterior anúncio sobre os Graus de Artesão, no Manifesto da M∴M∴M∴, Crowley permanecia inconfortável em relação às características maçônicas da O.T.O., por um adicional número de razões:

  • Em contraste com Reuss, Crowley acreditava que mulheres não poderiam ser iniciadas como maçons, apesar de pensar que deveriam ser aptas a se iniciar na O.T.O.
  • Estava frustrado com as elaboradas preparações requeridas para a execução das iniciações maçônicas e com o tamanho dos rituais maçônicos e seu excessivo palavrório. Crowley via estes fatores como impedimentos no sucesso da implantação de um trabalho entre pessoas modernas.
  • Ele acreditava que os conteúdos simbólicos dos rituais maçônicos estava amortecido a ponto de serem inúteis.
  • Desejava utilizar o sistema da O.T.O. para ajudar na divulgação dos ensinamentos de Thelema.

Por estas razões Crowley começou a preparar rituais revisados que poderiam propagar a significância da Arte e os altos–graus conscientemente e de forma dramática, que seriam próprios para a iniciação tanto de homens quanto de mulheres, que não infringiriam os privilégios da Grande Loja Unida da Inglaterra e que divulgariam os ensinamentos básicos de Thelema. Crowley assim o fez por volta de 1925 e adotou os rituais revisados para uso em sua própria seção da O.T.O., a M∴M∴M∴.

Crowley escreveu sobre estes rituais revisados a Arnold Krumm–Heller em 22 de junho de 1930:

Reuss tinha o hábito de iniciar pessoas com meros esqueletos de rituais tomados daqueles da Maçonaria continental. Não havia, para deixar claro, nenhuma ordem ou decência neste procedimento. Ele percebia isto perfeitamente bem e era uma das razões pelas quais pedia–me para reconstruir o sistema de iniciação.

Eu fiz um estudo comparativo de numerosos rituais aos quais eu tive acesso, e produzi uma série que foi aperfeiçoada para, e incluindo o 6º grau (equivalente ao Kadosh) e estes foram trabalhados em Londres com o maior sucesso.

Devo fazer aqui uma pausa para apontar uma mudança essencial e fundamental que é necessária em qualquer ritual com o qual eu tenha algo a fazer que é a completa renúncia ao culto dos Deuses–Escravagistas. É impossível para um homem livre conhecer qualquer sistema que está ligado aos fetiches de selvagens cujo único motivo para ação é o medo nascido de sua própria ignorância.

Em 1915 ou 1916 Aleister Crowley escreveu "Uma Intimação a Respeito da Constituição da Ordem" (Liber CXCIV), que desenvolvia suas ideias sobre a Constituição da O.T.O. escritas por Reuss em 1906, a Constituição da M∴M∴M∴ de Crowley, de 1913, e seu Manifesto. Gérard Encausse morreu em 25 de outubro de 1916. Charles Détré (Téder, 1855–1918) sucedeu Encausse e aparentemente também recebeu o grau X° da O.T.O. para a França, mas faleceu apenas dois meses depois.

Em 1916 Reuss mudou–se para a Basiléia, na Suíça. Enquanto estava lá, ele estabeleceu uma "Grande Loja e Templo Místico Anacional" da O.T.O. e a Irmandade Hermética da Luz em Monte Verità. Monte Verità era uma comunidade utópica perto de Ascona, fundada em 1900 por Henri Oedenkoven e Ida Hofmann, que funcionava como um centro para o qual o historiador James Webb chamaria mais tarde a "Contra Cultura Progressista".

Em 22 de janeiro de 1917 Reuss publicou um manifesto para sua Grande Loja Anacional, a qual foi chamada Verità Mystica. Na mesma data, publicou uma versão revisada de sua Constituição da O.T.O. de 1906, com uma "Sinopse dos Graus" e um resumo "Mensagem de Mestre Therion" em anexo. Nesta constituição revisada Reuss incluiu muitos dos tópicos da Constituição da M∴M∴M∴ de Crowley, de 1913. Contudo, neste documento, como em muitos dos documentos de Reuss sobre a O.T.O., ele enfatizava o caráter maçônico da Ordem.

C. S. Jones
C. S. Jones

Em maio de 1917, a Loja de Crowley na Inglaterra foi invadida e fechada pela polícia, sob a alegação de mandado contra "leitura da sorte" contra um de seus membros. Entretanto, o trabalho de Crowley para a publicação anti–britânica de Viereck "The Fatherland" pode ter levado as autoridades a suspeitarem de atividades anti–patrióticas na Loja de Crowley. Todos os arquivos da Loja foram apreendidos. Crowley foi forçado a temporariamente abdicar do cargo de Grão Mestre em favor de C. S. Jones para facilitar a situação dos membros remanescentes. A Loja nunca foi completamente restaurada.

Em Ascona, Reuss organizou um "Congresso Anacional pela Organização da Reconstrução da Sociedade em Práticas Linhas Cooperativas ", em Monte Verità, de 15 a 25 de agosto de 1917. Este Congresso incluiu leituras das poesias de Crowley (em 22 de agosto) e a récita da Missa Gnóstica de Crowley (em 24 de agosto — apenas para membros da O.T.O.). O anúncio do Congresso declarava: "Há dois centros da O.T.O., ambos em países neutros, onde pesquisadores podem ser encontrados por aqueles interessados nos objetivos deste congresso. Um é em Nova York (Estados Unidos da América), o outro é em Ascona (Suíça Italiana)." Crowley estava vivendo em Nova York nesta época; assim, evidentemente, ele e Reuss eram os únicos Cabeças Nacionais ativos da O.T.O. em 1917.

Reuss pediu que sua secretária, "J. Adderley" (Isabel Adderley Oedenkoven), enviasse uma cópia do anúncio, juntamente com uma cópia do Manifesto da M∴M∴M∴ de Crowley à Grande Loja Unida da Inglaterra, na esperança de que a Grande Loja enviasse representantes. Isto não ocorreu, mas William Hammond, o Bibliotecário da Grande Loja, escreveu a Reuss após o congresso e pediu mais informações. Durante a correspondência de Reuss com Hammond, Reuss lembrou–o que haviam se encontrado 1913/14, e Reuss havia dado a ele cópias de "The Oriflamme" e do "Equinox" de Crowley, o qual, havia dito, "dava detalhes sobre a O.T.O.".

Reuss estava claramente impressionado com Thelema. A Missa Gnóstica de Crowley, a qual Reuss traduzira para o alemão e fora recitada em seu Congresso Anacional em Monte Verità, é um ritual explicitamente telêmico. Em uma carta sem data para Crowley (recebida em 1917), Reuss fala excitadamente que havia lido "A Mensagem de Mestre Therion" para seu grupo em Monte Verità e que estava traduzindo o Livro da Lei para o Alemão. E ainda, "deixe esta notícia encorajá–lo! Estamos vivenciando seu Trabalho!!!"

Em 24 de outubro de 1917, Reuss entregou uma patente a Rudolf Laban de Laban–Varalya (1879 — 1958) e Hans Rudolf Hilfiker–Dunn (1882 — 1955) para operar uma Loja de Grau III° da O.T.O. em Zurique, chamada Libertas et Fraternitas. Em três de novembro de 1917, de Laban tornou–se Grande Mestre da Grande Loja Anacional Verità Mystica. Mais tarde, naquele mês, ele fechou a Verità Mystica e transferiu seu centro de operações para Zurique. Em março de 1918 Crowley publicou a Missa Gnóstica no "The International". Reuss publicou sua tradução para o Alemão da Missa Gnóstica no mesmo ano.

Em uma nota no fim de sua tradução da Missa Gnóstica, Reuss referia–se a si próprio, simultaneamente, como Soberano Patriarca e Primaz da Igreja Católica Gnóstica, e Legado Gnóstico na Suíça para a Église Gnostique Universelle, dando a conhecer Jean Bricaud (1881 — 1934) como Soberano Patriarca daquela igreja. A publicação deste documento pode ser vista como o nascimento da E.G.C. como uma organização independente, sob a tutela da O.T.O., com Reuss como seu primeiro Patriarca.

A I Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918. De Laban deixou a Suíça em novembro. Em fevereiro de 1919 a Loja Libertas et Fraternitas rompeu sua ligação com a O.T.O. e tornou–se estritamente uma Loja Maçônica. Posteriormente regularizou–se sob a Grande Loja Suíça Alpina. Embora nenhum corpo da O.T.O. tenha restado na Suíça, Reuss continuou a conferir graus da O.T.O. a indivíduos. Enquanto Reuss persistia em afirmar a autoridade maçônica da O.T.O., Crowley continuava a afastar a M∴M∴M∴ da Maçonaria. Em outubro de 1918, Crowley preparou outra substancial revisão dos rituais internos da Ordem, desta vez abandonando o termo "Maçonaria" e os característicos emblemas, signos, identificadores etc., dos graus da Arte. Ele apresentou seus rituais revisados a Reuss para a adoção pela Ordem como um todo. Em março de 1919 Crowley publicou seu "The Equinox, Volume III, No. I" (o "Equinox Azul"), o qual continha uma série de importantes documentos da O.T.O., incluindo:

  • Liber LII: O Manifesto da O.T.O.
  • Liber CXCIV: Uma Intimação a Respeito da Constituição da Ordem
  • Liber CI: Uma Carta Aberta a Todos os Que Desejarem Unir-se à Ordem
  • Liber CLXI: Sobre a Lei de Thelema
  • Uma versão revisada do Liber XV: A Missa Gnóstica

O Liber LII: O Manifesto da O.T.O. de Crowley foi baseado quase que palavra por palavra no Manifesto da M∴M∴M∴ de 1913. Saudações telêmicas foram adicionadas, referências aos oficiais foram atualizadas, referências aos "guinéus" foram convertidas a seus equivalentes em dólares, os nomes de duas organizações contribuintes foram apagados (a Ordem Rosacruciana e a Ordem Hermética da Golden Dawn); a tabela de taxas e as fotografias de Boleskine foram retiradas e a frase "Ela [a O.T.O.] de forma alguma infringe os justos privilégios de qualquer Corpo Maçônico autorizado" foi adicionada após a listagem de organizações contribuintes, e o anúncio maçônico acima citado foi mudado para:

"A O.T.O., embora uma Academia Maçônica, não é um Corpo maçônico posto não serem os 'segredos' entendidos da mesma forma na qual aquela expressão é normalmente compreendida; e então de nenhuma maneira conflitos com, ou infração dos privilégios justos da Grande Loja Unida da Inglaterra, ou qualquer Grande Loja na América ou de outra parte que seja reconhecida por ela [a G. L. U. da Inglaterra]."

Em 10 de maio de 1919, Reuss outorgou uma Patente a Hans Rudolph Hilfiker, Dr. E. Pargaetzi, R. Merlitscheke M. Bergmaier para formarem um Supremo Conselho do Rito Escocês de Cernau na Suíça, em Zurique. Na mesma data Reuss concedeu um documento chamado "Medida de Amizade" a Matthew McBlain Thomson, fundador da aziaga "Federação Maçônica Americana". O documento reconheceu Thomson como Membro de Grau IX° da O.T.O. Em 18 de setembro de 1919, Reuss foi reconsagrado por Bricaud pelo recebimento da "Sucessão da Antióquia" e reapontado como "Legado Gnóstico" na Suíça para a Église Gnostique Universelle de Bricaud.

Crowley retornou à Inglaterra em dezembro de 1919. Em 1920, Reuss publicou seu "Programa de Construção e Princípios – Guia para os Gnósticos Neocristãos: O.T.O.". Neste documento Reuss apresenta suas ideias para uma (altamente regulamentada) sociedade utópica. Os princípios desta sociedade eram para serem baseados nas ideias de Thelema (o Livro da Lei e aforismos de Mestre Therion eram citados e explicados); juntamente com ideias mais tradicionais do Rosacrucianismo, Gnosticismo e Yoga; e as ideias sócio–políticas "progressistas" prevalecentes em Monte Verità.

Em 17 de julho de 1920, Reuss participou do Congresso da "Federação Mundial da Maçonaria Universal", ocorrido na Loja Libertas et Fraternitas, em Zurique. Esta conferência foi realizada para complementar a "Conferência Internacional Maçônica e Espiritualista" de Papus em Paris, de 1908. Reuss, com autorização de Bricaud, advogou pela adoção da religião da Missa Gnóstica de Crowley como a "religião oficial de todos os membros da Federação Mundial da Maçonaria Universal possuidores do 18° do Rito Escocês". Os esforços de Reuss neste sentido falharam, e ele discutiu com Matthew McBlain Thomson (que fora eleito Presidente Honorário da Federação Maçônica Internacional) acerca de assuntos de jurisdição. Reuss abandonou o congresso após o primeiro dia.

Heinrich Tränker
Heinrich Tränker

C. S. Jones havia abdicado da O.T.O. em 1919, mas continuou a corresponder–se com Reuss e, em 10 de maio de 1921 Reuss designou Jones como X° para os Estados Unidos da América do Norte. Na mesma data designou Heinrich Tränker (Recnartus, 1880 — 1956), que liderava várias organizações esotéricas dentro de um movimento chamado "Pansophia", como X° para a Alemanha.

Em 30 de julho de 1921 Reuss emitiu outro "Gauge of Amity", desta vez para H. Spencer Lewis, o fundador da A.M.O.R.C., a organização Rosacruciana baseada em San Jose (Califórnia / EUA). Este documento também reconhecia Lewis como um membro Grau VII° da O.T.O. Crowley havia conhecido Lewis antes, em 1918, na cidade de Nova York, e não ficou impressionado com ele. Reuss retornou à Alemanha em setembro de 1921, estabelecendo–se em Munique. Em 3 de setembro de 1921 Reuss patenteou Carl William Hansen (Kadosh, 1872 — 1936) como X° para a Dinamarca. Em outubro de 1921, dada a abdicação de Dunn, Crowley apontou Frank Bennett (Dionysus, 1868 — 1930) como Vice–Rei da Austrália.

A Sucessão de Crowley

Há algumas razões para acreditar que Reuss sofreu um ataque na primavera de 1920, mas isto não está inteiramente certo. Crowley escreveu a W. T. Smith em março de 1943:

[...] o antigo O.H.O., após este primeiro ataque de paralisia, entrou em pânico pelo trabalho a ser realizado... Ele rapidamente emitiu diplomas honorários do Sétimo Grau a várias pessoas, algumas das quais não tinham direito a nada e alguns deles eram apenas recursos baratos.

Logo após apontá-lo como seu Vice-Rei para a Austrália, Crowley parece haver correspondido-se com Frank Bennett e discutido com ele suas dúvidas acerca da habilidade de Reuss em, efetivamente, continuar a governar a Ordem. Parece que Reuss descobriu esta correspondência; ele escreveu para Crowley uma furiosa resposta defensiva em 9 de novembro de 1921, na qual ele parecia distanciar-se e à O.T.O. de Thelema, a qual ele havia, como visto acima, abraçado. Crowley respondeu à carta de Reuss em 23 de novembro de 1921 e afirmou em sua carta: "É de minha vontade ser o O.H.O. e Frater Superior da Ordem e espero a sua renúncia - para proclamar-me como tal." Ele assinou a carta como "Baphomet O.H.O.". No registro de seu diário de 27 de novembro de 1921 Crowley escreveu: "Eu proclamei a mim mesmo como Frater Superior O.H.O. da Ordem dos Templários Orientais." Reuss morreu em 28 de outubro de 1923 e.v..

Em suas "Confissões" Crowley diz que Reuss "abdicou do título [de O.H.O.] em 1922 em meu favor." Em uma carta a Heinrich Tränker, datada de 14 de fevereiro de 1925, Crowley escreveu o seguinte:

Reuss era de temperamento incerto, e de muitas formas intratável. Em seus últimos anos ele parece ter perdido completamente seu juízo, chegando a acusar o Livro da Lei de ter tendências comunistas, ideia que não poderia ser mais absurda. Ainda assim parece ter tomado algumas decisões acertadas, como ter apontado a você e a Frater Achad, e designado a mim, em sua última carta, como seu sucessor.

Em uma carta a Charles Stansfeld Jones, datada Sol in Capricornius, Anno XX (12/1924 — 01/1925), Crowley disse: "na última carta do O.H.O. para mim ele convidou–me a ser seu sucessor como O.H.O. e Frater Superior." A carta de Reuss designando Crowley como seu sucessor como O.H.O. jamais foi encontrada, mas nenhum documento crível surgiu indicando que Reuss havia designado qualquer sucessor alternativo.