A Sucessão Após Crowley

Cronologia de Sucessão da O.T.O. após a morte de Crowley

Por muitos anos tem havido uma grande confusão sobre a história da Ordo Templi Orientis após a morte de Aleister Crowley. Frequentemente essa confusão vem sido orquestrada deliberadamente por vários reivindicadores da Liderança da Ordem, através do uso de citações selecionadas, algumas incorretas, mal entendidos ou simplesmente fraudes. Notavelmente, tais reivindicações raramente foram feitas com o suporte de uma documentação devida – omissão que o cronograma a seguir vai tentar remediar.

Eu me concentrei apenas no período de 1941 até 1969, o qual contém os documentos críticos relativos à sucessão de Crowley. Construí esse cronograma tanto quanto possível diretamente de fontes primárias e adicionei meus próprios comentários para apontar, quando necessário, passagens significativas ou esclarecer detalhes importantes do cenário em questão. Eu também contribuí ao final com um sumário, dando minha análise pessoal sobre o significado dos documentos. 

Termo de responsabilidade: Eu sou atualmente membro da O.T.O. e venho sendo há aproximadamente 20 anos. 

Nota sobre as fontes:  Foi do meu intuito verificar todas as fontes com a maior precisão possível. A maior parte do material foi tirada diretamente de manuscritos originais ou de cópias com boa proveniência, de dentro dos arquivos da O.T.O. Eu transcrevi os documentos mais importantes e contenciosos, além de resumir alguns materiais de auxílio. 

Estou em débito com Hymenaeus Beta, Bill Heidrick, Dr. Richard Kaczynski, Frank Kroener, Dionysus Roger e Ian Rons pela pesquisa e informações providas.

Adições e comentários são muito bem–vindos.

Rodney Orpheus, 2009 e.v.

1941

Crowley – Karl Kermer, abril/maio de 1941:

Apontamento de Gemer como grau Xº para as nações de língua alemã e emissário nos EUA. 

[Crowley manteve sua posição de Xº para todas nações de língua inglesa, mas, ao apontar Gemer como seu “emissário”, permitiu que ele atuasse como seu representante direto nos EUA.]

Crowley – Germer, 18 de julho de 1941:

Crowley dá a Germer uma procuração e o aponta como representante da O.T.O. e A.’.A.’, respondendo apenas ao próprio Crowley.

Crowley – Germer, 24 de novembro de 1941:

Note–se que provavelmente a O.T.O. vai precisar ser completamente reconstruída. O humor do Novo Aeon parece desfavorável às Lojas e os “Segredos” são ininteligíveis a qualquer um que não tenha realizado um longo estudo do sistema. Neste momento há duas seções; os rituais – até a Rosa Cruz; e as redações de instrução tratando do único segredo real. O(s) ritual(is) correspondentes nunca foram escritos, exceto o Templário. Então eu espero que fique a seu encargo conceber um tipo de método completamente novo de comunicação do segredo real. Este, é claro, tem sido o verdadeiro procedimento: eu simplesmente usei meus critérios e atirei os feijões para aqueles que julguei merecedores. Se os rituais, por algum milagre, tornaram–se amplamente trabalhados, bom. Eles são uma base esplêndida para o ensinamento prático.

1942

Crowley – Germer, 12 a 14 de Março de 1942:

Eu devo apontá–lo como meu sucessor como O.H.O, mas com termos especiais. Está bastante claro para mim que se faz necessária uma completa mudança na estrutura e nos métodos da Ordem. O Segredo é a base e você precisa selecionar as pessoas certas. Você pode pegar pessoas de fora; mas todos que tiverem qualquer envolvimento conosco devem fazer uma aceitação formal do AL e uma renúncia formal das idéias denunciadas no AL 49–56, Cap. III. Então virá a Nova Ordem Social pelas linhas dadas nos livros LII, CI, CLXI e CXCLV (ver Equinócio III. 1, pp 195–246) e o mesmo em Equinócio III. 2 – esse volume não está em minhas mãos nesse momento. A base geral de associações públicas é a Missa Gnóstica. Eu espero, depois de morrer, tê–la alçado “en grand tenue” por artistas treinados, para assim haver um “padrão selado” para referência futura. Os outros rituais terão de acompanhar o melhor que puderem. Tenho dúvidas se um dia vai retornar o tempo em que haverá tanto necessidade de usar tais métodos, como lazer em cultivá–los. É claro, os segredos menores em tais ritos têm seu valor mágico especial, e assim eles sempre terão um certo uso para certos tipos de mentes. O verdadeiro efeito mágico no candidato pode também ser de grande validade para ele, e o treinamento e a disciplina são sempre úteis. Mas como questão de propaganda eles são absurdamente lentos, pesados e desajeitados; a parte secreta é puramente cômica enquanto houver quaisquer Gerald Yorkes no mundo.

[Pontos importantes aqui:

  1. Germer é claramente apontando como O.H.O após a morte de Crowley
  2. Novas pessoas podem ser iniciadas na O.T.O., mas precisam aceitar formalmente o Livro da Lei
  3. Uma nova ordem social a ser baseada nos documentos de constituição da O.T.O.
  4. O rito público Central deve ser a Missa Gnóstica
  5. Os rituais de iniciação são lentos como propaganda, mas têm um valor mágico especial e, como a carta anterior atesta, “são uma base esplêndida para o ensino prático”.

Aqui nós podemos ver precisamente como Crowley pretendia direcionar a O.T.O. após sua morte. A última linha aparenta antecipar problemas de sigilo na era da Internet.]

Nota no diário de Crowley, 13 de março de 1942:

Precis (“sumário”) da carta para Saturnus em 12–14 de março. Toda minha propriedade está agora na O.T.O. A reivindicação de Pearl's Carey St deve ser feita a você como GTG. Saturnus é legatário do residuário & meu sucessor como O.H.O. Instruções para ele agir como tal (1) formar núcleos de IXº (2) Ordem Social Eqx. III 1 & 2 (3) Missa Gnóstica. Como escolher seu próprio sucessor.

[Crowley aponta que fez sua Última Vontade & Testamento, no qual documenta todas suas propriedades como sendo da O.T.O. e instrui seus advogados de que Germer é o Grande Tesoureiro Geral e que deverá suceder Crowley como Cabeça Externa da Ordem (O.H.O.) após sua morte.]

1943

Crowley inicia McMurtry no IXº grau da O.T.O. 

1944

Crowley – Grady McMurtry, 21 de novembro de 1944:

“O Califado”. Você deve perceber que não importa o quão intimamente observemos olho–a–olho em qualquer assunto objetivo, eu devo pensar em premissas totalmente diferentes daquelas concernentes à Ordem. Uma das (surpreendentes poucas) ordens que me foram dadas foi “'não confie em um estranho: não falhe com um herdeiro”. Isto tem sido muito maligno para mim. Fr.·. [Saturnus] é, claro, o Califa natural; mas há muitos detalhes acerca da real política ou trabalho que escapam a ele. Em todo caso, ele pode apenas ser um substituto por causa da sua idade; tenho que procurar seu sucessor. Isto tem sido um Inferno; tantos têm vindo com promessas maravilhosas, apenas para cair nas pedras. [...] Mas — e aqui é que você tem perdido meu ponto de todo — eu não penso em você deitado em uma encosta verdejante com adoráveis carneiros, tocando uma flauta! Ao contrário. Sua vida verdadeira, ou “sangramento”, é o tipo de iniciação que busco como base primordial para o Califa. — Para — digamos 20 anos — por isso o Cabeça Externo da Ordem deve, entre outras coisas, ter tido a experiência da guerra como ela realmente é de fato presentemente.

[Nota para que “Califa” é o termo árabe para “sucessor”, e quando Crowley se refere a “Califado” ele está simplesmente falando da liderança da O.T.O. após sua morte. Ele não dá aqui o título de Califa para McMurtry – Crowley está simplesmente constatando que Karl Germer é seu sucessor natural, mas também que ele (Crowley) está tentando achar o sucessor de Germer. Crowley menciona explicitamente que está preocupado com a idade de Germer e que ele pode ser apenas uma solução provisória; e que daqui a cerca de 20 anos ele visualiza McMurtry como seu possível sucessor como O.H.O. Observação um tanto quanto premonitória – uma vez que, na realidade,isto levou 25 anos.]

1945

Nota no Diário de Crowley, 7 de fevereiro de 1945:

    7 de Fev. para Saturnus política de refinanciamento da O.T.O.

    1. Os direitos autorais de A.C pertencem a O.T.O. Cada novo livro, ajuste de texto, ou o que for, é um ganho direto da O.T.O. Mantê-lo vivo e trabalhando, com a ajuda de um secretariado, deve ser importância de primeira mão para os Fundos, conhecidos por “Fundos de Publicação” ou por outro nome.
    2. Valor a Grant. Se eu morrer ou for para os EUA, deve haver um homem treinado para tomar conta da O.T.O. inglesa.

[Aqui Crowley planeja que os direitos autorais de seu trabalho pertencem a O.T.O. e que o Fundo de Publicação deve ser visto como um investimento nisso. Note–se que Crowley não menciona Grant como nada mais que um possível encarregado pela filial inglesa da O.T.O. Não há nenhum sinal de autoridade dada além dessa. Compare–se esta à autoridade já conferida a Karl Germer em 1942, e à carta de Crowley a McMurtry, em 1944, onde o menciona como possível Califa após Germer. Grant é raramente mencionado no diário de 1946 e não é mencionado em nenhum momento no diário de 1947, presumivelmente porque ele e Crowley tinham rompido a essa altura.]

Nota no diário de McMurtry, 16 de junho de 1945:

Nós [Aleister Crowley & ele mesmo] estávamos discutindo os problemas dele numa tarde que era praticamente uma daquelas da Loja Ágape em Los Angeles. Num dado instante eu disse: “Já que você me conhece, e eu conheço eles, quando eu chegar em casa (Califórnia) eu vou dar uma olhada na situação e escrever um relatório para você”. Ao que ele falou: “Está bem. Eu agora te nomeio Grande Inspetor Soberano Geral da Ordem”. Esse foi o único título puramente verbal que eu recebi de Crowley e para este eu não tenho nenhum documento, já que Crowley não me deu um naquele momento.

1946

Crowley – McMurtry, 22 de março de 1946:

Esta é a autorização para que Frater Hymenaeus A (Cap. Grady. L Mc Murtry) tome controle de toda a Ordem na Califórnia. Para reformar a organização de acordo com seu relatório de 25 de janeiro de1946 e.v. sujeito à aprovação de Frater Saturnus (Karl J Germer). Essa autorização deve ser usada apenas em caso de emergência. Amor é a lei etc. Baphomet. O.H.O.

[O relátorio mencionado foi o relatório de McMurtry sobre a Loja Ágape, na Califórnia, empreendido por McMurtry sob o encargo de Grande Inspetor Soberano Geral da Ordem mencionado acima. Crowley ficou muito satisfeito com o relatório e deu a McMurtry a autoridade de tentar resolver os problemas mencionados nele. Note–se que a autoridade dada aqui é para ser usada apenas em emergência – provavelmente no caso da Loja Ágape não poder resolver seus problemas sozinha. Já que um tempo depois a Loja Ágape começou de fato a ruir e Germer morreu sem estar apto a reverter o processo, eu acho que pode ser razoável considerar tal fato uma “emergência”.]

Crowley – McMurtry, 11 de abril de 1946:

Este é o apontamento de Frater Hymenaeus A. Grady Louis McMurtry IXº grau da O.T.O. como Nossa representação pessoal nos Estados Unidos da América, e sua autoridade é para ser considerada como Nossa, sujeita à aprovação, revisão ou veto de nosso Vice–Rei Karl Johaness Germer IXº da O.T.O. da Rua 72 com Oeste 260, Nova Iorque.

[Uma autoridade maior que a precedente. Aqui Crowley aponta explicitamente McMurtry como grau IXº e dá a ele completa autoridade para representar Crowley em todos EUA, contanto que Germer não tivesse nenhum problema com isso. A menção de ambos, tanto Germer quanto McMurtry, como membros do IXº grau mostra que Crowley está conferindo autoridade especificamente dentro do contexto da O.T.O. Note–se que, ao contrário da autorização anterior, esta não está condicionada a uma situação de emergência – está plenamente ativa desde que não haja objeção de Germer. É a única vez que Crowley confere completa autoridade para outro membro da O.T.O. e ela nunca foi rescindida, nem por ele nem por Germer. Assim, após a morte tanto de Crowley como de Germer, McMurtry se torna a única pessoa na Ordem portando credenciais oficiais de liderança.]

Germer – McMurtry, 24 de maio de 1946:

... em qualquer passo que você decidir dar com minha aprovação. Cooperemos completamente.

[Germer não faz objeções à comissão conferida a McMurtry e atesta seu desejo de trabalhar junto a ele, conforme o desejo de Crowley.]

Crowley – Germer, 19 de junho de 1946:

A única limitação ao poder dele [McMurtry] na Califórnia é que qualquer decisão tomada por ele está sujeita a revisão ou veto por você.

[Note–se que Crowley remove a cláusula da “aprovação”, de modo que McMurtry tem autoridade para trabalhar livremente, a não ser que Germer se oponha especificamente.] 

Germer – McMurtry, 7 de agosto de 1946:

Estou em posse dos dois documentos que você me enviou; não vejo razão para que você não deva mostrá–los para Roy [Leffingwell] e para quem quer que tenha título para vê–los.

[Germer mostra seu reconhecimento da autoridade que Crowley deu a McMurtry, e sua aprovação para o uso de ambos os documentos.]

1947

Crowley – Gerald Gardner, maio de 1947:

Faze o que tu queres será o todo da Lei.

Nós Baphomet Xº Ordo Templi Orientis, Grande Mestre Geral Soberano de todas as nações de língua inglesa da Terra autorizo nosso amado filho Scire (Dr. G.B. Gardner), Príncipe de Jerusalém, a constituir um acampamento da Ordo Templi Orientis no grau de Minerval.

Amor é a lei, Amor sob Vontade.

Com o testemunho de minha mão e selo,

Baphomet Xº

Crowley – W.B. Crow, 30 de maio de 1947:

Eu sugiro que você encaminhe todos seus seguidores da cidade de Londres para o Dr. Gardner, para que ele possa conduzi–los devidamente pelo grau de Minerval e alguns possam ao menos ajudá–lo a estabilizar os acampamentos para os graus superiores, até o de Perfeito Iniciado ou Príncipe de Jerusalém.

Crowley – Germer, 6 de junho de 1947:

Você parece em dúvida quanto à sucessão. Nunca houve qualquer questão a este respeito. Desde sua reaparição Você é o único sucessor em que tenho pensado até este momento. Tenho, de qualquer forma, a idéia de que, tendo–se em vista a dispersão de tantos membros, você deveria achar útil apontar um triunvirato para trabalhar sob seu comando. Minha idéia é Mellinger, McMurtry e, eu suponho, Roy [Leffingwell], apesar de eu sempre ter estado um pouco duvidoso em relação à lealdade deste último. [...] Eu devo deixar a decisão de formar um triunvirato após minha morte inteiramente para você.

Gardner – Crowley, 14 de junho de 1947:

Gardner paga Crowley 10/10 para se afiliar ao VIIº grau da Ordem. 

Crowley – McMurtry, 17 de junho de 1947:

Já faz um tempo que não ouço notícias suas. Esse é um grande erro: eu te digo porquê, em estrita confidência. Na ocasião de minha morte, Frater Saturnus é obviamente meu sucessor, mas, após sua morte, o terrível fardo da responsabilidade pode muito facilmente cair sobre seus ombros: por essa razão eu gostaria de manter você em contato próximo comigo.

A Última Vontade & Testamento de Crowley, 19 de junho de 1947:

ESTA É A ÚLTIMA VONTADE de mim, EDWARD ALEXANDER CROWLEY, comumente conhecido como Aleister Crowley de “Netherhood”, O Guardião de Hastings, Sussex, Inglaterra

EU AQUI REVOGO todas vontades e testamentários disponíveis até agora feitos por mim

EU ORIENTO que meus executores testamentários devem se certificar como melhor acharem e para além de qualquer suspeita de qualquer possibilidade de erro no fato da minha morte

EU DESEJO que, ao meu falecimento, meu corpo seja cremado, as cinzas sejam preservadas num caixão junto a meu anel–selo e que eles sejam confiados ao Grande Tesouro da Ordo Templi Orientis

EU APONTO Karl Johannes Germer da Rua 72 com a Oeste 260, Nova Iorque, Lady Frieda Harris, a esposa de Sir Percy Harris da 3 Devonshire Terrace Marylebone High Street London W.1. e Louis Umfraville Wilkinson, Doutor em Letras cujo endereço é Westminster Bank Limited Shaftesbury Avenue London W.C.1 para serem Executores de meu testamento (aqui referidos apenas como meus Executores), exceto no tocante às propriedades e resultados (incluindo direitos autorais) relacionados a minha profissão de autor, para quais propriedades e resultados

EU APONTO Louis Unfraville Wikinson e John Symonds da 121 Delside Road London W.C.3. ditos como os executores (de agora em diante referidos como “meus executores literários”)

EU ORIENTO meus Executores literários a recolher o mais brevemente possível, após minha morte, todos meus livros, escritos e resultados de natureza literária de qualquer maneira, incluindo todos resultados sobre os quais eu, na data da minha morte, possa ter poder de opinar ou apontar e

EU DOU E LEGO meus livros, escritos e resultados literários assim recolhidos para meus Executores literários, livres de qualquer dever mortuário, NA CONFIANÇA que eles farão o mesmo ao Grande Tesoureiro Geral da Ordo Templi Orientis (Ordem do Templo do Leste) na Rua 72 com a Oeste 260, Nova Iorque, com o requerimento que tal coleção deverá ser para o uso e benefício absoluto da Ordem citada e

EU DECLARO que o recebimento do Grande Tesoureiro Geral da Ordem citada deve ser uma licença suficiente para meus Executores literários em relação ao pagamento de minhas dívidas e despesas funerárias e testamentárias

EU PLANEJO LEGAR E APONTAR todo o restante de minhas posses, bens e resultados aos citados Karl Johannes Germer, Lady Frieda Harris e Louis Unfraville Wilkinson, se vivos na data da minha morte, e se mais de um, igualmente entre eles para o benefício dele ou dela, mas requisitando–se que ele ou ela disponha igualmente do mesmo entre meus amigos fiéis de acordo com quaisquer desejos expressos por mim durante minha vida ou apontado em qualquer memorando escrito ou assinado por mim ou deixado entre meus documentos quando de minha morte, declaro que tal memorando não deve ser julgado como parte de meu Testamento nem deve a expressão anterior de meus desejos criar qualquer disputa ou obrigação legal.

EM TESTEMUNHO a partir do qual eu até aqui ponho minha mão neste décimo nono dia de junho de mil novecentos e quarenta e sete.

[Aqui, a parte importante para a O.T.O. é a seção referente aos resultados literários: “EU DOU E LEGO meus livros, escritos e resultados literários... ao Grande Tesoureiro Geral da Ordo Templi Orientis... para o uso e benefício absoluto da Ordem citada.” É claro que ele queria que todos seus resultados literários (o que inclui os direitos autorais) fossem para a O.T.O. eaponta especificamente o endereço de Germer como o lugar para onde deveriam ser enviados.]

Crowley – Germer, 30 de junho de 1947:

A Inglaterra em particular está começando a parecer muito brilhante: estaremos começando um Acampamento de Minerval durante o verão se o plano seguir como foi providenciado.

[Esse era o Acampamento proposto sob a liderança de Gardner.]

Crowley – Frederic Mellinger, 15 de julho de 1947:

Estou de fato bastante ansioso para que você mantenha contato próximo comigo, apenas porque penso ser possível que, após eu e Frater Saturnos partirmos para o plano seguinte, você pode se descobrir enlaçado com toda responsabilidade de carregar o trabalho da Ordem.

[Fica evidente nessas cartas ao longo de junho–julho que Crowley sabia que sua morte se aproximava e tentava assegurar que a sucessão devida aconteceria na O.T.O. – com Germer como Cabeça, McMurtry e Mellinger como substitutos em caso de emergência.]

Crowley morre no dia 1 de dezembro de 1947.

Membros conhecidos da O.T.O. na data da morte de Crowley:

  • Karl Germer X°
  • Europa
    • Frederic Mellinger IX°
    • Herbert Smolke ?
    • Doktor von Oldershausen ?
  • Reino Unido
    • W.B. Crow ?
    • David Curwen IX°
    • Edward Noel Fitzgerald IX°
    • Gerald Gardner VII°
    • Frieda Harris (IV°?)
    • Louis Umfraville Wilkinson (IX°)
  • EUA
    • Meeka Aldrich
    • Mildred Burlingame
    • Ray Burlingame
    • Louis Culling IX°
    • Mary Kay ?
    • Roy Leffingwell IX°
    • Grady McMurtry IX°
    • Georgia Schneider IX°
    • Jean Schneider IX°
    • Max Schneider IX°
    • Phyllis Seckler
    • Helen Parsons Smith (IX°?)
    • Wilfred Smith IX° (suspenso)
    • John Whiteside Parsons IX° (pediu afastamento, depois se reintegrou?)
    • Jane Wolfe IX°

A lista ainda está incompleta.

Frieda Harris – Mellinger, 7 de dezembro de 1947:

Você é o cabeça da Ordem aqui ou era Gardner? Não consigo achá–lo, eu imagino que ele morreu?

[Gardner estava vivo, mas muito doente, na América. Não há menção de Grant como possível líder na Inglaterra. Frieda Harris assume que Mellinger e Gardner são os oficiais gerais na Europa.]

Gerald Gardner – Vernon Symonds, 24 de dezembro de 1947:

Aleister me deu uma carta me tornando o cabeça da O.T.O. na Europa. Agora eu quero qualquer papel sobre aquilo que Aleister tinha, alguns Rituais datilografados. Eu sei. Eu também os tenho, mas eu não quero que caiam nas mãos de outras pessoas, eu os comprarei dos Executores por um preço razoável, junto a qualquer outra relíquia que eles estejam querendo vender.

[Note–se que Gardner não era o membro de grau mais alto da Europa, nem mesmo na Inglaterra, mas de todo modo ele era a única pessoa no momento com uma Carta para realmente iniciar novos membros na Ordem.]

1948

Harris – Germer, 2 de janeiro de 1948:

Eu acho que sou um membro da O.T.O.

Eu costumava entender a Palavra do Equinócio.

G.B.Gardner, 282 Strathmoore Círculo de Memphis 12 Tenn. é o cabeça da O.T.O. da Europa – Dr. W.B.Crow, 227 Glenfield Road Western Park Leiceste tem autoridade dada por A.C para trabalhar na O.T.O. e na Igreja Gnóstica Católica. Você escreveria para ele? Noel Fitzgerald Fitzgerald 24 Belsize Road N.W6 também parece ter sido convidado a iniciar o Sr. Gardner e pode ser um membro.

Germer – Grant, 5 de outubro de 1948:

Germer manda para Grant seu certificado e formulário de iniciação ao IXº, com assinatura de confirmação por Gerald Yorke.

[Note–se que isso significa que Grant não recebeu formalmente seu IXº até depois da morte de Crowley.]

1950

Gardner – John Symonds, dezembro de 1950:

Eu tentei começar uma ordem, mas fiquei doente e tive que deixar o país. Depois da morte dele [Crowley], foi dito para Germer que eu era o cabeça da Ordem da Europa, e Germer me reconheceu como tal, mas por causa da saúde ruim eu não tenho sido capaz de dar andamento às coisas. Eu tinha algumas pessoas interessadas, mas alguns foram mandados para a Alemanha com o exército de ocupação e outros viviam muito longe, então nada aconteceu. Na verdade, eu não tenho todos os rituais. O ritual de K.T. foi perdido; Gerald Yorke acha que ele pode não ter sido nunca escrito. Eu tenho até o Príncipe de Jerusalém. Você não sabe nada sobre os graus perdidos, eu suponho.

[Gardner parece se referir a carta de Harris para Germer em 1948. Não há razão para duvidar da alegação de Gardner de que Germer o reconheceu como o dirigente da O.T.O. na Europa. Note–se que esse é um caminho de mão dupla – Gardner implicitamente também reconhece que Germer é seu superior e, assim, o Cabeça da O.T.O. internacional. A menção à gente na Alemanha provavelmente se refere a Mellinger, que estava trabalhando como tradutor e interrogador do exército de ocupação – eu assumo que Germer tinha informado Gardner do paradeiro de Mellinger a essa altura.]

1951

Germer – Grant, 5 de março de 1951:

Faze o que tu queres será o todo da Lei.

Com o poder investido a mim por BAPHOMET, o último O.H.O. da ORDO TEMPLI ORIENTIS, eu por meio desta concedo a Fra. AOSSIC IXº O.T.O. (KENNETH GRANT) direito de constituir um acampamento da Ordem acima citada no vale de Londres, Inglaterra.

Amor é a lei, amor sob vontade.

Saturnus Xº O.T.O.
New York, N.Y.
5 de março, 1951.

[Uma vez que Gardner está agora admitindo que não fez nada com a O.T.O. na Europa, parece que Germer está procurando alternativas, tendo dado a Grant uma Carta para o Reino Unido. Ao dirigir o Acampamento, implicitamente Grant aceita a autoridade internacional de Germer sobre a O.T.O. – de outro modo, a Carta não teria nenhum significado.]

Germer – Mellinger, 25 de setembro de 1951:

... vá em frente com a O.T.O. se você achar que deve. A carta dele [Metzger] para você em 21 de setembro não parece pegar o touro pelo chifre, como ele deveria. Eu gostaria da O.T.O. operativa na Europa Central nas nossas linhas, não naquelas de Reuss.

[Novamente Germer parece estar buscando por alternativas européias agora que Gardner desistiu. Germer dá a Mellinger autoridade para dirigir a O.T.O. na Europa Central.]

Mellinger, 28 de outubro de 1951

Mellinger inicia Hermann Metzger no IXº grau da O.T.O. em Hamburgo, o certificado assinado depois por Karl Germer como O.H.O.

[Mellinger usa sua autoridade para iniciar Metzger. Isto revela que Metzger claramente aceita a autoridade de Mellinger para iniciá–lo, e aceita Germer como o Cabeça da Ordem.]

Mellinger – Germer, 31 de outubro de 1951:

Querido Karl,

93,

essa é provavelmente minha última mensagem da Alemanha.

Tudo está preparado para mudar rumo a um novo ciclo em poucos dias. Desde sexta da semana passada até segunda, Metzger esteve aqui e ficamos cerca de 24 horas juntos falando sobre Thelema. A tarefa não foi toda dificuldade para mim, mas um tanto agradável, ao que M. mostrou–se um estudante sincero, muito talentoso e devoto à Nova Lei com total e genuína submissão ao seu Logos. Todo o desejo é de receber o máximo de material possível para estudar e passar para seu grupo a sabedoria e conhecimento oferecidos no trabalho de Mestre Therion. Para começar, eu emprestei a ele minha cópia do Equinócio Azul, que ele pretende duplicar com microfilme. Ao que ele e sua loja são iniciados do Iº até o IIIº grau da O.T.O. (na versão de Reuss), eu não hesitei em prometer os manuscritos correspondentes e pedi que ele os pegasse com Lekve, a quem ele ia visitar na segunda passada. Ele copiou o formulário de aplicação que eu usei em Hildesheim, vai imprimi–lo decentemente em casa e tê–lo assinado por seus dezesssete Irmãos e enviar as aplicações para você. Ele é ávido para pôr em prática a Missa Gnóstica e eu prometi ajudá–lo com uma revisão da tradução alemã, que ele vai mandar para nós, e com as instruções disponíveis. Ele também quer iniciar seu grupo cerimonialmente nos três primeiros graus da Ordem “reformada”, tão logo ele receba a autorização para isto, e irá estar tecnicamente pronto...

... Amor é a lei, amor sob vontade.

Sempre seu,

Frederic.

[Mellinger está claramente trabalhando próximo a Germer e sob sua autoridade, aceitando–o como O.H.O. Ninguém no grupo de Metgzer era maior que IIIº grau a essa altura. Mellinger vai receber aplicações dos membros do grupo de Metzger para entrar na O.T.O. dirigida por Germer. Depois dessa carta, Mellinger se mudou para a Suíça para trabalho direto de inspeção da Loja Suíça. A referência a (Friedrich) Lekve e a Hildesheim (onde Lekve vivia – e era prefeito!) implica que Mellinger já tinha viajado para iniciar Lekve pelo menos no IIIº dentro das instruções anteriormente dadas mensalmente por Germer. Alegações futuras de que “não havia iniciações na O.T.O. sob direção de Germer” são assim falsas.]

Testamento de Germer, 4 de dezembro de 1951:

Eu deixo a totalidade de minhas propriedades e posses à minha amada esposa Sascha Ernestine André–Germer como a única herdeira [...] Em relação à propriedade da Ordem Ordo Templi Orientis [...] Eu oriento que seja passada para os Cabeças da Ordem [...] minha esposa [...] deve ser a executora dessa parte de meu testamento, junto a Frederic Mellinger.

1955

Kenneth Grant – Manifesto da Loja Nova Ísis:

... A Loja Nova Ísis está de acordo com o Mestre Therion (um Grande Mestre da O.T.O. no Passado), com o presente Mestre S., que é o Cabeça Mundial da O.T.O. no Exterior, operando nos Estados Unidos da América...

[O “Mestre S.” presumivelmente se refere a Saturnus, mote de Karl Germer. Essa frase parece invalidar a alegação futura de Grant de que ele nunca aceitou Germer como Cabeça Internacional da O.T.O.]

Germer – Grant, 20 de julho de 1955:

Ao senhor Kenneth Grant

NOTIFICAÇÃO DE EXPULSÃO

Faze o que tu queres será o todo da Lei.

Você está notificado que a muito pouca e limitada autoridade que eu te dei para estabelecer um Acampamento da O.T.O. no vale de Londres está retirada e eu formalmente te expulso da Ordo Templi Orientis. Você abusou grosseiramente da confiança depositada em você. Ao imprimir e distribuir um assim chamado “Manifesto” sem minha aprovação e pelas minhas costas, você mostrou que lhe faltam senso de decência e a autoridade devida.

Ao veicular afirmações falsas e enganosas, imprimindo mentiras deslavadas e se movendo sobre falsos pretextos, você se revelou moral e espiritualmente desonesto e provou ser totalmente indigno da liderança de qualquer causa que esteja ligeiramente conectada com uma Ordem como a O.T.O., muito menos de uma causa como a Lei de Thelema.

Amor éa lei, amor sob vontade.

Karl Germer X° e Frater Superior O.T.O.
Hampton N.J.
20 de julho de 1955

Germer – Noel Fitzgerald, 20 de julho de 1955:

Hampton N.J.
P.O.Box 581

16 de dezembro de 1955

A QUEM POSSA INTERESSAR. Foi reportado a mim que há pessoas na Grã–Bretanha operando em nome da O.T.O. – Ordo Templi Orientis. A única autoridade para as nações de língua inglesa reside no presente Frater Superior da O.T.O., Frater Saturnus, Karl Germer.

Não há ninguém na Grã–Bretanha com uma Carta válida da O.T.O. Na Grã–Bretanha, qualquer atividade sob este título é portanto espúria.

Por meio desta eu aponto o Sr. Noel Fitzgerald, London W.1. como meu representante pessoal nos assuntos da O.T.O. para a Grã–Bretanha – válido até revogação – a fim de reportar para mim quaisquer atividades ou reivindicações ilegais; enquanto toma ações que ele considere apropriadas.

Karl Germer
Frater Superior O.T.O.
Xº O.T.O.

[A linguagem aqui é inequívoca. Nesse momento, ninguém no Reino Unido tem uma Carta para iniciar novos membros ou dirigir um corpo da O.T.O. Noel Fitzgerald serve como representante de Germer até sua morte, em 1958. Nessa data, os únicos membros da O.T.O. no Reino Unido são Harris e Wilkinson e, após a morte deles, todas atividades cessaram até os anos 70. Note–se que em ambas as cartas Germer assina como Frater Superior da O.T.O., sendo disparates algumas alegações futuras de que Germer nunca teria usado esse título.]

1962

Karl Germer morre em 25 de outubro de 1962

A mulher dele não informa Mellinger ou McMurtry sobre sua morte e Mellinger nem mesmo é nomeado como co–executor do Testamento de Germer. Ao invés de passar adiante as propriedades da O.T.O., ela as retém consigo. Ela escreve para Metzger e para um estudante de Germer na A.·.A.·., Marcelo Motta, dizendo a cada um deles que era vontade de Germer que eles fossem Cabeças da O.T.O. Isto apesar do fato de Sascha Germer nunca ter sido membro da O.T.O.! A partir dessa desinformação, criou–se muita confusão na próxima década.

Membros conhecidos da O.T.O. na data da morte de Germer:

  • Europa
    • Annemarie Aeshbach IX°
    • Anita Borgert IX°
    • Frederic Mellinger IX°
    • Hermann Metzger IX°
  • Estados Unidos
    • Mildred Burlingame (IX°?)
    • Ray Burlingame (IX°?)
    • Louis Culling IX°
    • Roy Leffingwell IX°
    • Grady McMurtry IX°
    • Georgia Schneider IX°
    • Jean Schneider IX°
    • Max Schneider IX°
    • Phyllis Seckler (IX°?)
    • Helen Parsons Smith (IX°?)
    • Jane Wolfe IX°
    • Gabriel Montenegro (III°?)

A lista ainda está incompleta – faltam muitos membros da Suíça. Eu também não tenho informações sobre membros – ou se ao menos restava algum – em atividade no Reino Unido.

1963

Metzger unilateralmente tenta proclamar a si mesmo O.H.O. em janeiro, apesar de Mellinger ser seu iniciador e o membro de mais alto grau da O.T.O. na Europa, e apesar também de haver muitos outros membros de IXº grau ativos nos EUA. Mellinger descobre sobre isso em setembro deste ano quando recebe uma carta dos advogados da Sra. Germer.

Mellinger – Gard Chisholm, 25 de setembro de 1963:

Querido Sr. Chisholm,

Eu recebi sua carta de 20 de setembro, 1963, com a cópia anexada da Petição de Legitimação de Testamento que a Sra. Germer pretende assinar e arquivar. Você está pedindo minha opinião sobre a petição. Aqui vai:

Pelas razões a seguir, eu preciso me opor à declaração na petição: “O testamento foi executado em todas as indicações”.

1) Como você sabe, o Testamento define (em relação à propriedade da Ordem Ordo Templi Orientis) que “seja passada para os Cabeças da Ordem” e que “Frederic Mellinger deve ser co–executor (sic, no testamento está “executor”) dessa parte do Testamento.”

2) A Sra. Germer decidiu – sem pedir minha opinião nessa importante questão pertencente a “essa parte do Testamento”, sem contatar–me em absoluto – aceitar o estranho “Manifesto” de Herr Metzger (impresso na primavera) como uma verdade evangélica e reconhecê–lo como “Grande Mestre Xº da Ordem e Soberano Grande Mestre Geral” (sic!). Nem a Sra. Germer, nem Herr Metzger (que pelos últimos seis anos enviou–me regularmente seus panfletos, o que mostra que ele sabia muito bem meu endereço) me notificaram antes de 28 de março de 1963 sobre a morte de Karl Germer (em 25 de outubro de 1963). [sic, deveria ter escrito 1962] ou sobre sua “eleição” impostora em 6 de janeiro de 1963. Minhas questões sobre com que autoridade Metzger assumiu os títulos acima e com que direito fez uma “convocação dos Príncipes Patriarcas” no vilarejo de Stein, Suíça, para sua “eleição”, nunca foram respondidas nem pela Sra. Germer, nem por Metzger. Tampouco pude obter uma explicação sobre as negociações que aconteceram entre os dois durante os cinco meses antes de me contatarem. Eles assim resolveram violar (e não “executar”, como atesta a Petição) o Testamento do falecido.

Karl Germer nunca encontrou Herr Metzger na sua vida. Em 25 de junho de 1951, ele escreveu para mim sobre M. tê–lo contatado por carta, pediu para eu “aconselhar aquele grupo” e deixou totalmente sob meu julgamento passar algumas instruções a Metzger, possivelmente conduzindo “aquele jovem rapaz” em algum avanço na Ordem.

Herr Metzger revelou para mim – não–intencionalmente, é claro – de onde ele tirou a coragem de reivindicar o alto escritório da Ordem num infantil “coup d’etat’” (golpe de estado); especialmente ao imprimir na primeira página de seu impostor “Manifesto” os mottos a seguir:

“Ser ou não ser, eis a questão”. E “Hier stehe ich, ich kann nicht anders” (Aqui estou, não posso renunciar), aquelas bravas palavras de Martin Luthero. – Assim ele apontou involuntariamente para a única autoridade que ele tinha, mostrando suas aspirações ditatoriais: seu inflado Ego. Mas a Sra. Germer ficou impressionada e maliciosamente anuiu com seu consentimento, ignorando o “sagrado” (como ela disse), mas aparentemente desconfortável Testamento de seu falecido marido e meu papel como co–executor. {sic}

Sinceramente seu,

{assinado}
(Dr. Frederic Mellinger)

1966

Grant – Symonds (data desconhecida):

No dia 5 de março de 1951, eu obtive uma Carta do Cabeça Externa da Ordem (Frater Saturnus/Karl J. Germer).

[Note–se aqui que Grant nomeia especificamente Germer como o Cabeça Externa da Ordem da O.T.O. após a morte de Crowley e como fonte da autoridade do próprio Grant.]

1969

McMurtry finalmente descobre sobre a morte de Germer, quase sete anos depois do ocorrido. Entendendo que a O.T.O. agora não tinha um O.H.O. (como Crowley previu que poderia acontecer), ele usou suas cartas de autorização escritas por Crowley e conclamou todos membros remanescentes da O.T.O. para trabalhar com ele e reconstruir a Ordem.

Sumário

Principais Fatos

  • Karl Germer
    • Iniciado no IX° grau por Crowley em 1925, e X° em 1941
    • Recebeu muitas autorizações claras de Crowley que o nomeavam seu sucessor como O.H.O.
    • Todo membro ativo da O.T.O. no mundo inteiro aceitou sua autoridade em escritos nos anos 50
    • Indiscutível Cabeça Externa da Ordem da O.T.O. após a morte de Crowley
  • Grady McMurty
    • Iniciado no IX° grau por Crowley em 1943
    • Recebeu várias cartas de Crowley nomeando-o como possível sucessor de Germer
    • Recebeu autorização clara de Crowley para ser seu representante pessoal
    • As autorizações de Crowley foram aceitas como válidas por Germer
    • Continuou trabalhando como Grande Inspetor Soberano Geral sob autoridade de Germer
  • Frederic Mellinger
    • Data do IX° grau desconhecida, mas certamente o tomou sob a direção de Crowley
    • Recebeu carta de Crowley nomeando-o como possível sucessor de Germer
    • Dirigiu a O.T.O. na Europa Central sob autoridade de Germer, iniciando até o grau IXº
    • Rejeitou especificamente a reivindicação de Metzger ser O.H.O. após a morte de Germer
  • Gerald Gardner
    • Foi um membro de VII° grau sob autoridade de Crowley
    • Dirigiu um acampamento por pouco tempo, que falhou
    • Tentou dirigir a O.T.O. na Inglaterra após a morte de Crowley, mas desistiu
  • Kenneth Grant
    • Crowley o menciona uma vez em seu diário como um possível responsável pela O.T.O. na Inglaterra
    • Recebeu seu IXº grau de Germer, após a morte de Crowley
    • Dirigiu um corpo local em Londres, iniciando até o IIIº grau, sob autoridade de Germer
    • Expulso da O.T.O. por Germer
  • Hermann Metzger
    • Iniciado ao IXº grau por Mellinger, sob autoridade de Germer
    • Após a morte de Germer, reivindicou ser o O.H.O, sem contatar os outros membros da Ordem fora da Suíça
    • Sua reivindicação foi desmentida por seu superior imediato, Mellinger
  • Marcelo Motta
    • Reivindicou ser membro da O.T.O. mas nunca teve qualquer autorização para atuar como oficial de qualquer gênero

De tudo isso, as cartas de autorização de McMurtry mostram–se as únicas que qualquer um já produziu que são válidas para reivindicar a sucessão como Cabeça da Ordem. Nenhuma das outras reivindicações estão amparadas em documentação que nós tenhamos disponível. É especialmente notável que houve tantas reivindicações e contra–reivindicações nas quatro décadas passadas baseadas em absolutamente nenhuma evidência, e que, na verdade, muitas delas foram levadas a sério