Sobre Thelema

O que é Thelema?

Resumindo, Thelema é uma filosofia místico/religiosa criada com o recebimento do Livro da Lei em 1904 e.v., por Aleister Crowley, no Cairo. A Lei de Thelema preconiza a chegada de um Novo Aeon (Era), baseado em duas máximas: “Faze o que tu queres será o todo da Lei” e “Amor é a lei, amor sob vontade”.

O que é um(a) Thelemita?

O termo “Thelemita” pode estar sujeito a diferentes interpretações, mas, de forma geral, basta que se aceite o valor da revelação do Livro da Lei e se viva de acordo com seus princípios para ser considerado um(a) Thelemita.
Não há necessidade de se unir a nenhuma organização em particular, tampouco a outros Thelemitas e nem sequer seguir qualquer roteiro específico de estudo, meditação ou prática ritual. Thelema significa “Vontade”, portanto o conhecimento e prática da própria Vontade, não importando que sistema ou técnica se use para obtê–lo, enquadra–se no postulado pela Lei de Thelema.

O que é Verdadeira Vontade

De forma geral, refere-se ao motivo da encarnação de uma Centelha Divina, isto é, uma individualidade. Assim, pode-se considerar a Verdadeira Vontade como o objetivo maior que cada um de nós tem em sua vida, o qual reflete nossa plena individualidade. Entende-se que é obrigação e objetivo de todo Thelemita descobrir e realizar esta Verdadeira Vontade.

E se for sua Verdadeira Vontade fazer alguma “coisa ruim”?

Este é um quebra–cabeça filosófico presente na filosofia de Thelema e, como tal, não pode ser resolvido facilmente ou superficialmente.
Alguns consideram que “Faze o que tu queres” é uma lei descritiva do funcionamento do Universo, e não uma regra normativa ou moral, do mesmo modo que existe diferença entre a velocidade da luz determinada pela natureza e o limite de velocidade de uma estrada. Deste modo, tendo alguém levado a cabo um ato que foi capaz de ser consumado, é evidente que ele esteve de acordo com leis naturais. Assim, “bem” e “mal” seriam questões estritamente particulares de ponto de vista, não existindo tal juízo de valores na mecânica do Universo.
Outro modo comum de se pensar a Lei é vê–la como uma meta a ser alcançada, e que é bastante possível agir contra sua Verdadeira Vontade — ou a de outros. Nesta ótica, se todos realizassem suas Verdadeiras Vontades, suas órbitas estariam harmonizadas com a das outras estrelas e não haveria atrito ou sofrimento. Já o não conhecimento da própria Vontade representa um desalinhamento com a natureza e, portanto, um estado passível de causar ou receber sofrimento.
Uma visão não necessariamente invalida a outra. Além disso, cada Thelemita deve pensar a Lei de acordo com suas vivências pessoais dela.

O que significa 93?

As antigas linguagens Hebraica e Grega não tinham um sistema separado dos numerais, relacionando estes às letras de seus alfabetos. Desta forma, um valor numérico pode ser obtido de uma frase ou palavra em algum desses idiomas. O estudo desses valores e suas associações é chamada “Gematria”.
As Palavras gregas Θελημα (Thelema — Vontade) e Αγαπη (Agape — Amor) têm o valor de 93. Dessa maneira, o número 93 serve como uma forma concisa e simbólica de expressão da Lei: Vontade — “Faze o que tu queres será o todo da Lei” e Amor — “Amor é a lei, amor sob vontade”. Muitos thelemitas usam o 93 como saudação abreviada.

Tenho outras perguntas!

Em caso de quaisquer dúvidas ou questionamentos não exite em falar conosco. Entre em contato ou nos procure durante nossos eventos abertos. Ficaremos felizes em conversar.